domingo, 28 de fevereiro de 2010

O amor é filme.

Para combinar com a postagem anterior, um vídeo bem bonitinho:

Personal Effects


Hoje assisti à Personal Effects, ou por Amor, em Português.
Particularmente, gosto muito de filmes e cinema. Mas não gosto finais felizes e raramente consigo curtir uma comédia ("Se beber, não case" quebra essa regra fácil, fácil.)Gosto de filmes que sejam significativos e me façam pensar sobre a vida; filmes realistas, que fujam dos clichês e pieguices.
Esse filme me fez pensar na vida, me fez chorar, rir do jeito desajeitado do Walter (Ashton Kutcher), enfim, gostei do filme. Parece pouco profundo e confuso, mas nada muito diferente da nossa realidade.
Em suma, Walter (Ashton Kutcher) e Linda (Michelle Pfeiffer) têm tragédias familiares em comum. Por isso, eles acabam se apegando um ao outro emocionalmente a fim de superar seus traumas e, quem sabe, terem um destino juntos ao começarem um romance. O filho de Linda, incapaz de lidar com a morte do pai, também acaba encontrando em Walter uma forma de conviver com sua dor. Mas como lidar com o espaço entre a perda e o amor? Como curar uma ferida que não se vê?
O filme surpreende pela abordagem do ódio, que nos cega, e da fragilidade do ser humano. Michelle está linda e impecável na atuação (quanto mais madura, mais bela)e Ashton parece estar amadurecendo (ainda vai ficar bom!).

O interessante foi o comentário da minha mãe ao fim do filme: e pensar que tem tanta gente sendo movida pelos sentimentos das personagens: a sede de vingança e justiça.

É... a vida é assim (que contradição! Termino meu texto com um clichê horroroso.Mas há outra opção?)

Eu recomendo " Por amor".
Aliás, o que não é válido quando se trata de amor?

; )



E não é que esse tal de Racine sabia das coisas???


Ao entrar no museu da Língua Portuguesa, sinto-me na França. 2009 foi o ano do francês no Brasil e eu quase pirei lá no museu. Sem falar a dança, presente na cultura francesa. Cada dia mais tenho certeza que não sou daqui...

E esta camiseta de madeira falará por mim agora.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Lindo dia...


Hoje é dia está lindo, não acha?
Sem sol, nem chuva, um friozinho gostoso, que poderia estar mais intenso.
Ninguém suando feito louco, nem reclamando de calor, com ar-condicionado ligado no "congelando".

Eu simplesmente amo dias como esse. Basta olhar para o céú e ver aquela cor cinza. Sinto-me feliz, disposta, bem-humorada. Sem falar nas roupas, nos vestimos muito melhor em um dia frio, ou seja, um lindo dia.


Obrigada, meu Deus...

Podia fazer um calorzão uns 15 dias por ano. Uma semana em Janeiro, outra em Dezembro. Pronto!!!
É por isso que quero morar na Europa...e ver o Sol de vez em quando.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Dança Contemporânea


( Sim, sou eu mesma na foto..rs)
Ontem fiz minha primeira aula de Dança Contemporânea. Confesso que foi um pouco difícil a ruptura, com todo o repertório que trago do Ballet Clássico, mas o professor disse que me saí bem.

Ao chegar, eu estava ansiosa, com os olhinhos brilhantes e aquele friozinho na barriga. Aos poucos foram chegando algumas pessoas e fui conversando com elas. O professor Marcos me recebeu com um enorme sorriso no rosto e beijinhos. Eu já me sentia em casa e observava atentamente cada detalhe daquele salão, que logo se transformaria em palco. A aula foi começando e eu sentia que me faltava agilidade..mas isso foi melhorando. Não usamos sapatilhas, nem collant, nem coques, nem aquela compostura perfeita. Durante a aula, muito chão e rolamentos, que resultaram em vários "roxinhos" espalhados pelo meu corpo. Você pode estar se perguntando: mas, afinal, o que é Dança Contemporânea? Bem, vamos lá...dança contemporânea. A maioria de nós consegue imaginar um bailarino de sapatilhas de ponta fazendo uma pirueta quando se fala em balé clássico, ou uma dançarina com uma sombrinha na mão realizando passos com a ponta do pé e o calcanhar quando o assunto é o frevo, por exemplo. Mas, quando se trata de dança contemporânea, a referência não aparece assim tão fácil. A dança contemporânea não é uma escola ou uma técnica específica, e sim um modo de pensar a dança que passou a ser desenvolvido em todo o mundo a partir da década de 70, depois de a dança moderna dar o pontapé inicial na quebra da hegemonia do ballet clássico. A dança contemporânea faz parte das artes contemporâneas, e todas essas artes se dedicam a falar das questões complexas e cheias de nuances de nosso tempo. Família, antigamente, era mãe, pai e filho. Hoje é o pai que casou com a mãe que tem filho de outro. A dança contemporânea se dedica a falar das relações humanas, num mundo onde existe aids, casamentos que não duram a vida inteira, muita miséria e violência, afirma a crítica de dança Helena Katz. O fato é que o mundo de hoje não é mais o mesmo de antigamente, as coisas mudaram. E a arte acompanhou essas transformações. Por isso, a dança teve que procurar novas abordagens. E de onde poderia partir essa dança que pretende falar das relações humanas senão do próprio homem? A dança contemporânea nos propõe uma investigação de nós mesmos através do corpo, nos convida a vasculhar cada detalhe para descobrir movimentos que expressem nossas emoções, dúvidas e pensamentos. E nos lança a questão: por que não encarar o corpo como uma forma de existir e de fazer trocas com o mundo? Assim, mesmo quem não pretende ser bailarino pode praticar aulas de dança contemporânea como uma forma de autoconhecimento. Alguns temas são frequentes na dança: "Conhece a ti mesmo", "lei da gravidade", "improvisação", "novos pontos de vista" e claro, muita paixão e por que não musculatura também? É..porque para fazer aqueles exercícios...tem que ter força no braço. Sem contar as dorzinhas que surgem no dia seguinte em um músculo que você nem sequer sabia que existia...Não preciso falar que amei e já me matriculei, né? Ah, como eu amo dançar!

Além disso tudo que a dança oferece e representa para mim, eu tenho um motivo principal, o maior de todos: Ser mais que uma bailarina, ser uma adoradora!


Gosta de dança? Quer saber mais? Fale comigo!!!

Beijos e até o próximo passo!!!


BBB...Indignação!!!

Recebi esse texto e acho que deve ser postado. Representa a minha indignação diante de um programa como o BBB num cenário que temos como mundo: guerras, fome, miséria, corrupção, catástrofes naturais e muitas outras cositas mais. Leia e Reflita.



BBB 10: Putaria ao vivo!!!

Que me perdoem os ávidos telespectadores do Big Brother Brasil (BBB), produzido e organizado pela nossa distinta Rede Globo, mas conseguimos chegar ao fundo do poço. A décima (está indo longe) edição do BBB é uma síntese do que há de pior na TV brasileira. Chega a ser difícil encontrar as palavras adequadas para qualificar tamanho atentado à nossa modesta inteligência.

Dizem que Roma, um dos maiores impérios que o mundo conheceu, teve seu fim marcado pela depravação dos valores morais do seu povo, principalmente pela banalização do sexo. O BBB 10 é a pura e suprema banalização do sexo. Impossível assistir ver este programa ao lado dos filhos. Gays, lésbicas, heteros... todos na mesma casa, a casa dos heróis, como são chamados por Pedro Bial. Não tenho nada contra gays, acho que cada um faz da vida o que quer, mas sou contra safadeza ao vivo na TV, seja entre homossexuais ou heterosexuais. O BBB 10 é a realidade em busca do IBOPE: é putaria ao vivo!!!

Veja como Pedro Bial tratou os participantes do BBB 10. Ele prometeu um zoológico humano divertido . Não sei se será divertido, mas parece bem variado na sua mistura de clichês e figuras típicas.

Se entendi corretamente as apresentações, são 15 os animais do zoológico: o judeu tarado, o gay afeminado, a dentista gostosa, o negro com suingue, a nerd tímida, a gostosa com bundão, a não sou piranha mas não sou santa, o modelo Mr. Maringá, a nordestina sorridente, a lésbica convicta, a DJ intelectual, o carioca marrento, o maquiador drag-queen e a PM que gosta de apanhar (essa é para acabar!!!).

Pergunto-me, por exemplo, como um jornalista, documentarista e escritor como Pedro Bial que, faça-se justiça, cobriu a Queda do Muro de Berlim, se submete a ser apresentador de um programa desse nível. Em um e-mail que recebi há pouco tempo, Bial escreve maravilhosamente bem sobre a perda do humorista Bussunda referindo-se à pena de se morrer tão cedo. Eu gostaria de perguntar se ele não pensa que esse programa é a morte da cultura, de valores e princípios, da moral, da ética e da dignidade.

Outro dia, durante o intervalo de uma programação da Globo, um outro repórter acéfalo do BBB disse que, para ganhar o prêmio de um milhão e meio de reais, um Big Brother tem um caminho árduo pela frente, chamando-os de heróis. Caminho árduo? Heróis? São esses nossos exemplos de heróis?

Caminho árduo para mim é aquele percorrido por milhões de brasileiros, profissionais da saúde, professores da rede pública (aliás, todos os professores), carteiros, lixeiros e tantos outros trabalhadores incansáveis que, diariamente, passam horas exercendo suas funções com dedicação, competência e amor e quase sempre são mal remunerados..

Heróis são milhares de brasileiros que sequer tem um prato de comida por dia e um colchão decente para dormir, e conseguem sobreviver a isso todo santo dia.

Heróis são crianças e adultos que lutam contra doenças complicadíssimas porque não tiveram chance de ter uma vida mais saudável e digna.

Heróis são inúmeras pessoas, entidades sociais e beneficentes, ONGs, voluntários, igrejas e hospitais que se dedicam ao cuidado de carentes, doentes e necessitados (vamos lembrar de nossa eterna heroína Zilda Arns).

Heróis são aqueles que, apesar de ganharem um salário mínimo, pagam suas contas, restando apenas dezesseis reais para alimentação, como mostrado em outra reportagem apresentada meses atrás pela própria Rede Globo.

O Big Brother Brasil não é um programa cultural, nem educativo, não acrescenta informações e conhecimentos intelectuais aos telespectadores, nem aos participantes, e não há qualquer outro estímulo como, por exemplo, o incentivo ao esporte, à música, à criatividade ou ao ensino de conceitos como valor, ética, trabalho e moral. São apenas pessoas que se prestam a comer, beber, tomar sol, fofocar, dormir e agir estupidamente para que, ao final do programa, o escolhido receba um milhão e meio de reais. E ai vem algum psicólogo de vanguarda e me diz que o BBB ajuda a "entender o comportamento humano". Ah, tenha dó!!!

Veja o que está por de tra$$$$$$$$$$$$$$$$ do BBB: José Neumani da Rádio Jovem Pan, fez um cálculo de que se vinte e nove milhões de pessoas ligarem a cada paredão, com o custo da ligação a trinta centavos, a Rede Globo e a Telefônica arrecadam oito milhões e setecentos mil reais. Eu vou repetir: oito milhões e setecentos mil reais a cada paredão.

Já imaginaram quanto poderia ser feito com essa quantia se fosse dedicada a programas de inclusão social, moradia, alimentação, ensino e saúde de muitos brasileiros?
(Poderia ser feito mais de 520 casas populares; ou comprar mais de 5.000 computadores )

Essas palavras não são de revolta ou protesto, mas de vergonha e indignação, por ver tamanha aberração ter milhões de telespectadores.

Em vez de assistir ao BBB, que tal ler um livro, um artigo de Jabor, um poema de Mário Quintana ou de Neruda ou qualquer outra coisa..., ir ao cinema..., estudar... , ouvir boa música, U2,cuidar das flores e jardins... , telefonar para um amigo... , visitar os avós... , pescar..., brincar com as crianças... , namorar... ou simplesmente dormir. Assistir ao BBB é ajudar a Globo a ganhar rios de dinheiro e destruir o que ainda resta dos valores sobre os quais foi construída nossa sociedade.
Faça sua parte !!!

Estou ouvindo...

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Carnaval - Mardi Gras

O que você vai fazer no carnaval?

Eu vou cuidar do espiritual, pois o tempo está acabando
e Jesus está voltando.

E você?
Quem vai reinar?

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Promessa de formatura.



Algo tão esperado está para acontecer: a minha colação de grau. Sempre sonhei em fazer uma faculdade que gostasse e me realizasse como pessoa e como profissional. Hoje, isso é uma realidade, graças a Deus. A colação e o baile estão chegando e um sentimento de alegria indescritível existe em mim. Também sonhava em fazer o tão famoso discurso do orador da turma, o que também será realidade. Escolhi as palavras delicadamente e construi um dos mais belos textos que eu já pude. Porém, algo parece faltar. Não falta, na verdade, deixou de existir.


Lembro-me de quando, em meio a tanto amor, você prometeu que estaria na minha formatura. Eu ri, desacreditada. O que, obviamente, não acontecerá na realidade, você deu um jeitinho de fazer acontecer. Em um belo sonho você veio, eu usava uma beca azul-marinho e você um terno cinza. Estava mais novo, mais magro, cabelos bem cortados e sério. Com a missão de cumprir uma promessa feita. E assim, você o fez, me deu um forte abraço, os parabéns e se retirou. Sim, você tem palavra. E não havia mais ninguém ali comigo. Nem você. Eu fiquei sozinha em frente ao portão da Universidade. Eu e Deus.
Acordo assustada.


Parabéns para mim. Estou formada!!! ; )

Uma vaga...

Os olhos de Alejandro Sanz se foram....não para Madrid, para Jacareí mesmo.

Mas posso perceber evoluções no esquema ALE...afinal, sexta-feira ganhei um belo presente do meu amor: uma vaga em um estacionamento lotado.´

Isso trouxe-me um refrigério para a alma; odeio procurar e esperar pelas vagas...

http://i470.photobucket.com/albums/rr65/srmpp/lilas.jpg

http://i470.photobucket.com/albums/rr65/srmpp/lilas.jpg

AbcBlogs

Site certificado
Voos baratos
voos baratos
voli low cost