terça-feira, 23 de dezembro de 2008

I Believe in Father Christmas


They said there'll be snow at Christmas
They said there'll be peace on Earth
But instead it just kept on raining
A veil of tears for the Virgin's birth
I remember one Christmas morning
A winters light and a distant choir
And the peal of a bell and that Christmas Tree smell
And their eyes full of tinsel and fire

They sold me a dream of Christmas
They sold me a Silent Night
And they told me a fairy story
'Till I believed in the Israelite
And I believed in Father Christmas
And I looked at the sky with excited eyes
'Till I woke with a yawn in the first light of dawn
And I saw him and through his disguise

I wish you a hopeful Christmas
I wish you a brave New Year
All anguish pain and sadness
Leave your heart and let your road be clear
They said there'll be snow at Christmas
They said there'll be peace on Earth
Hallelujah Noel be it Heaven or Hell
The Christmas you get you deserve




Acesse o link e ouça a canção: http://br.youtube.com/watch?v=4jgswWMlUN8

No Line On the Horizon

23 de Dezembro de 2008.

Acordo bem tarde e vou resolver algumas coisas: devolvo "Clarice" na biblioteca, visito Sabrina, Xênia, arrumo vestido, faço um saque, encontro o Júlio e desejo Feliz Natal.
Hoje é o baile de formatura da Damaris, estou empolgada, adoro bailes de formatura.
Conheci a Damaris no cursinho, em 2005. Quando nós duas, meio perdidas, não sabíamos qual faculdade escolher.Eu: Letras ou Direito? Ela: Artes Cênicas ou Letras?
Enfim, numa fase como essa, nossa amizade foi se construindo e dura até hoje, vai durar muito mais!
Hoje ela se forma, eu somente em 2009.Licenciatura, sabe como é né?
Nesse percurso da tarde, resolvo visitar a Valéria. Estou em férias e uma das coisas que mais gosto de fazer é visitar os amigos.Ela não estava, deixei um bilhete com o porteiro..sinto saudades dela.
No meio do caminho, passo perto da casa do Vinícius, ligo antes..ele não atende.
Volto para a casa. Ele retorna a ligação e me passa a manchete do dia: No Line On The Horizon, novo álbum do U2, que será lançado em Março de 2009.Colocamos os assuntos em dia e marcamos uma outra hora...Vi, gosto de você!
Eu, fã de U2, mal posso esperar para ouvir as novas canções.
Há a prévia de uma regravação de "I believe in Father Christmas".Deixo para você na próxima postagem.
Preciso me arrumar para o baile.Por enquanto, Merry Christmas!

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Os relógios


Foi o primeiro poeminha que eu decorei.
Na verdade, eu não gosto de decorar nada, mas, uma vez ouvi que toda professora de Português deve saber uns poeminhas...então...Este foi o primeiro, que é também um dos meus favoritos :

Diante de coisa tão doída
conservemo - nos serenos.

Cada minuto de vida
nunca é mais, é sempre menos.

Ser é apenas uma face
do não ser, e não do ser.

Desde o instante em que se nasce
Já se começa a morrer.

Cassiano Ricardo



Estamos todos morrendo.
Há quem diga que a vida de gente é um nada no mundo, é uma gota, é um tempo.
Eu sei que a vida deveria ser bem melhor e será, mas isso não impede que eu repita: é bonita, é bonita, é bonita.

Recepção

13 de Dezembro de 2008.
Houve a recepção, em um sábado À noite.
Já faço parte da família.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

C.L.




Hoje eu acordei com um sentimento estranho.
Foi difícil para adormecer ontem à noite pois eu estava Perto do Coração Selvagem.Ao despertar, olho para O Lustre que iluminava A Cidade Sitiada através da janela.
Não gosto de comer pela manhã, sinto como se houvesse borboletas em meu estômago, mas sei que preciso.Observo A Maçã no Escuro que Será o meu breakfast hoje.
Enquanto faço minha primeira refeição relembro A Paixão Segundo G. H., uma pessoa querida.Toda aquela história maluca que eu ouvira na noite anterior seria mesmo Uma Aprendizagem ou o Livro dos Prazeres somente? Não sei, não sei. Essa vida pós - moderna é assustadora. Todos são completamente livres e ao mesmo tempo completamente escravos de si mesmo e da vaidade; não sabem o que fazer. Tá, sou livre, que maravilha!! Mas o que faço agora? O que vem depois?
Às vezes, sinto -me como uma água - viva em pleno oceano. Totalmente livre, mas será que eu quero queimar alguém? Ou simplesmente nadar nas águas profundas?
Muitos estão vivos, mas poucos vivem. Os muitos precisam de Um Sopro de Vida (Pulsações talvez) para saber o que fazer com a tal liberdade. Lembre -se que todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convêm.
Isso me faz lembrar de Alguns Contos que eu ouvi na minha infância, contados pelo meu amado avô, o que estreitava ainda mais os Laços de Família.Ele falava sobre A Legião Estrangeira que veio em busca da Felicidade Clandestina. Enquanto eu ouvia as suas histórias atentamente, eu também observava aquele quadro na parede, nada mais era A Imitação da Rosa. Era lindo demais! Tão lindo que Onde Estivestes de Noite, tu terias A Visão do Esplendor que aquele quadro refulgia, parecia que era proposital, Para Não Esquecer a sua imagem.
A Maçã acabou, o fruto pecaminoso daquela manhã estava consumido.O pecado estava intimamente ligado À Vida íntima de Laura, uma garota que conheci no colégio, cujo "whereabouts", desconheço hoje.Sua mãe, A Mulher que Matou os Peixes do aquário com detergente, nunca dera atenção para ela, por isso eu compreendia tamanha rebeldia.Era Quase de Verdade o ódio que ela tinha pela mãe, exceto pelo fato de serem idênticas e ao mesmo tempo totalmente diferentes.Por isso, ela a amava, sem a ciência da mãe, é claro.
Certa vez, Laura e eu assistimos à Bela e a Fera. Ela chorara como criança e nunca mais falou sobre isso comigo.Mudou de assunto e começu a falar sobre A Descoberta do Mundo e de como Nasceram as Estrelas. Ouvi atentamente, sem questionar. Declarou sofismas e eu agüentei tudo, porque eu ainda estava Aprendendo a Viver. A Laura; já sabia tudo (ou quase), a vida a ensinara bem cedo e por isso ela fazia Outros Escritos.Um dia pediu minha ajuda, queria publicá- los, mas tinha que ser em um Correio Feminino, senão teria vergonha.Eu disse a ela que não existia correio com sexo definido.Mais uma vez, ela desabou a chorar e disse que queria que as pessoas lessem seus escritos e dizia também: " Só para Mulheres, Minhas Queridas."
Ainda não sei o que foi feito com os escritos nem com a Laura.


08h15. Preciso ir para a Universidade.
As sementes da maçã repousam sobre a toalha de mesa.




quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

I'm back


Sim, estou de volta.
Agora em férias, feliz, estimulada e muito, muito entusiasmada para concluir meu TCC.
Fiquei quase 2 meses sem postar devido às ocupações.
Para sumarizar: mais um relacionamento que não deu certo ( mas ao menos ele também gosta de MPB - coisa rara!) , mais um aniversário (22!!! que deu origem ao título do blog), mais um bimestre de provas, mais paixões literárias, como Drummond e sua irreverente gaucherie e Cassiano Ricardo, mais amigos.
Semestre encerrado! Como me sinto? Como educadora, muito bem e realizada. Como aluna universitária, deixei a desejar.
Mais paixões: Já falei que amo a dança? Não? Pois sim, surgiram pessoas em minha vida de uma forma divina e volto a dançar. Sinto -me mais do que feliz. É inexplicável.
20 de Novembro:Meu aniversário. Fiz 22 anos.Não acredito, parece tão menos. Foi um dia rodeado de pessoas que eu amo e me amam também.Perto ou longe estavam comigo: Meus pais, Júlio, Neriane, Ju e Ivair, Renata,Valéria, Elô, Guilherme, Xênia, Emerson, Claudecir, Gisele, Leila e Beto, Marisol, Damaris, Stéfano, membros mais do que amados da família Ribeiro, Lucy (mais nova amiga), Su, Nicolinha e a Loreta (do jeito dela, rs).Sem contar as inúmeras mensagens...
Ganhei flores! Amo muito isso!
Uma semana depois, reúno - me com meus colegas da dança..cantam parabéns para mim mais uma vez. Sinto -me mais velha, mais uma vez..
Sensação estranha, os anos passam tão rápido. Não temos o controle!
Espiritualmente: sou outra, renovada e perfumada, com aquele perfume suave que vem dos céus.
O fim do ano se aproxima e com ele as confraternizações. Gosto ou não gosto? Gosto, adoro, quando são verdadeiras. Entende? Ou seja, pouquíssimas.
Sei que é chato escrever assim, informalmente e com frases curtas, mas quero registrar de maneira pragmática o que rolou enquanto estive ausente.
Sonhos: continuam...ou seja, Deus fala comigo por meio deles.E como Fala.Ele sempre está presente...Quem seria o Ele?
TCC: Lingüística, sem dúvida! Orientadora: Graziela Zamponi.
Novas: Os gêmeos de Elô são um casal. Murilo e Sofia (não sei se com "f" ou " ph").Mas isso não é tudo!Data prevista para nascimento: 10 de Maio...oh data linda!
Bom, o corpo está dolorido devido aos exercícios físicos, estou fora de ritmo.Preciso ler agora, Jane Austen me aguarda com muito Orgulho e Preconceito.
Estarei presente.
Já estou.

domingo, 5 de outubro de 2008

Layla

Ele, amavelmente, disse a ela:
-Durma bem, boa noite e sonhe com os anjinhos.

Ele foi embora e ela foi dormir. Ela sonhou que ouvia Eric Clapton e os anjinhos não apareceram.

É o que ela faz agora: ouve Layla, num domingo chuvoso de eleição, enquanto lê Lima Barreto e pensa nele e na noite passada.

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Filosofia


Sté diz:
É isso aí meu. Enquanto você não encontra o homem serto, vai se divertindo com os herrados.

01/10/2008 22h48

Esse Sté... ah, nem vou falar nada.
Quero você sempre around...
Vinho barato, no problem...é igual amizade também, quanto mais velha melhor!

1 de outubro

Hoje, primeiro de outubro, seria o dia dela.
Seria o dia em que alguns viriam e cantariam "parabéns pra você".
Seria o dia que alguns outros ligariam, enviariam flores, visitariam..tudo "iam", porque há quase um ano, para ser exata daqui a 9 dias fará um ano, ela nos deixou.
Ela era amorosa, brincalhona e ao mesmo tempo preocupada, rígida e liberal.
Lembro -me de um dia que eu chorava após uma discussão com alguém e eu queria ir embora, mas não podia, porque era noite e minha mãe não gostava que eu atravessasse a estrada sozinha.Então, ela deixou seus afazeres e me acompanhou, não só isso, consolou.
Lembro -me como se ela estivesse aqui, das frases, das palavras doces...
Ela dizia que toda segunda - feira era feriado : dia da preguiça!
Ela gostava de ir à missa aos domingos e, às vezes, passava em casa para eu ir junto.

Lembro -me de quando fui passar o reveillon na praia e liguei para desejar feliz ano novo... ela disse que tinha a mim como filha; e eu a tinha como mãe.
Lembro-me dos conselhos amorosos que ela me dava, lembro -me da maneira que ela penteava o cabelo, passava maquiagem.
Gostava de sair: praia, sítio, Santo Antônio..ela ia sorridente.
Amava um shopping center, assim como eu.
Foi mãe, esposa, mulher, amiga, criança, foi sábia.Construiu uma linda família.
Eu ficaria aqui horas, dias falando sobre ela que, infelizmente, não está mais aqui.
Partiu, de maneira triste, deixando saudades e muitas, muitas lições e boas lembranças.
Luzia, onde quer que esteja, és lembrada e amada.
Parabéns, hoje é e sempre será o seu dia.

Saudades...

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Once again


Começo a ler Alice in Wonderland.(mais uma vez)
Agora a obra original, em Inglês.
"She found herself falling down a very deep well."
(this is me...I'm always there; she's always here...somehow I can't depict.)

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Room by room

Monday... fucking boring day..
surrounded by Audioslave, I prepare my classes.
Children, teens and adults come to me, they are eager..sometimes they are not.
Mom 's got a new job...she 's happy. So am I.

Have a nice week. I'll do my best! I promise you, baby.
See ya !

domingo, 28 de setembro de 2008

"Minha laranjeira verde, por que está tão prateada?"

Externo

Estou aqui dentro. Em meio aos cadernos, livros e letras.
Minhas mais fortes e verdadeiras paixões.
Lá fora, há um barulho infernal. Carreata de um, comício do outro.
Estão se debatendo para um cargo público e estável.Mas o que é estável?
Isso me faz lembrar de Machado e o Medalhão, os infinitos conselhos de um pai preocupado.
Meu pai não me dá mais conselhos, mas também fala sobre política e cargos.Diz que eu deveria acreditar mais nessa idéia de entrar para a política. Há um certo alguém que diz que não! V., sai dessa.
Sinceramente, eu não sei.
A política me atrai; a brasileira, não.
Às vezes, acho que deveria voltar a dançar Ballet e viver disso.
Às vezes, acho que deveria viver da busca.
Às vezes, acho que deveria viver de amor e paixão.
Às vezes, acho que deveria estudar ainda mais.
Às vezes...
Não importa, continuo aqui, com aqueles que me fazem companhia neste quarto quente.Enquanto lá fora, os fogos e festas se encontram.

Loreta

Hoje vou falar dela.
Sabe aquela amiga, que mesmo de fogo, com a cara cheia até... te chama no banheiro do bar e te fala uma das coisas mais importantes e significativas que você já ouviu em toda a sua vida?
Então, esta é a Loreta: loira, linda, inteligente, carioca da gema.
É uma amiga das quais estarão sempre aqui...mesmo longe.
É uma das poucas pessoas que eu me espelho nesta vida. E uma das únicas que já conseguiu me entender ( isso não é fácil).Dá bronca, sim..xinga, abre os olhos, mas com amor e compreensão. Ela bate sem doer.
Entende sobre amores, desamores, amigos e inimigos. Sempre lá, com muuuita classe. Linda de morrer.
Dá até vontade beijar na boca, rs. ( segredo)
E dança...[do jeito dela ], mas dança e canta também!!
Estou indo visitá-la..logo, logo.
Ela também ri, fala cada coisa... quando menos se espera.
Chora e ri. Ah, que saudade de você, amiga!

Valeu, Lo!

Cartão postal


Hoje a Ju passou em casa e me trouxe uns postais.Eu não estava lá para receber, infelizmente.
Sou colecionadora de postais. Fanática, louca por eles.E começou numa bobeira, alguém me deu um. Outro alguém mais uns e assim começou. Já tenho centenas.Um dia pretendo estar lá...em cada foto, em cada imagem que guardo na minha gaveta.

Agora vou falar da Ju.Ahh, a Ju...Eu tinha 11, quase 12. Ela, quase 15.Usava uma camisa do Brasil e cabelos presos...sempre pretos.Eu usava camiseta branca ( que sem graça!). A Ju e suas paixões,cartas, músicas e filmes.Uma vez eu fui até a casa dela.Ela e o irmão assistiam a Star Wars, mas eu não, eu queria falar com a Ju. Grande conversacionalista! De repente, a Ju mudou e, literalmente, não deixou endereço. Fui atrás. Um cara fortão, 4 x4 me recebe e me informa o novo endereço...Sabe, ela tem um lado meio cigano..já me acostumei. Aí, ela virou vizinha do Magrão...e eu...adoro os magros, fiquei louca por ele. Louca mesmo, o cara era feio pra caramba! Nunca saiu disso. Ufa! Ai, houve noites e mais noites em claro, de conversas, choros, risos e de nada.Noite de nada, quero dizer, de ficar uma perto da outra pensando e pensando...Ela, assim como eu, também teve a fase Legião Urbana. Teve a fase de dúvidas e certezas...ainda temos. Teve a fase música eletrônica e a fase: sei que vou casar com ele! Doce engano...
E eu sempre lá...ela sempre comigo.
Uma das coisas mais engraçadas, foi a fase da promessa. Tadinha, 13 anos...falou e jurou cada absurdo. Mas quem podia saber? Ninguém avisou a gente.Hoje, quase 10 anos depois, a Ju está aqui, ali e em todo lugar. Até no shopping!!

Tenho muitas páginas ainda...

Poxa, como é bom ficar dentro do carro ouvindo músicas antigas e lembrando o que cada uma delas traz para cada uma de nós.
Há amizades que configuram um belo cartão postal.

Sofia

Sempre sonhei em ser escritor,
desde a minha mocidade.
Também queria ser pintor.
Enfim, fazer arte de verdade.

Os ventos passaram;
as chuvas molharam.
O sol nasceu.
A bela flor morreu.

Sofia, Sofia...
onde está o talento?

Minha alma atrofia nesta cama,
minha mente inflama em pensamentos
eu não mais...

não mais agüento...
não mais agüento...

Onde está o...
Sofia, Sofia.


Não, não deixe para amanhã. Pode ser tarde demais.

Quinta (na)

Quintana, Quintana!!
Não consigo entender...
Explique -me seu poema.
Senão, quem o explicará?
Filhinha, filhinha,
não adianta clamar.
Quintana foi descansar;
amanhã é sexta- feira.
Ninguém te responderá.
Ouço uma voz:
"Morremos quando deixamos de sonhar."
Quais são suas dúvidas?
Pode questionar.

Escrito em uma bela madrugada...27/12/2007

Batizado na Bahia

Sou recebida com um gesto cordial: um homem sorridente abre a porta do carro.Já sinto-me bem.
Subo a escada...ela parece sorrir para mim. Cada degrau é um dente.Juntos, formam o mais belo sorriso que já vi.
Pobre de mim, achava que isso era tudo. Uma recepção calorosa é o máximo que eu esperava daquele lugar estranho (até então).
De repente, o mundo se abre diante dos meus olhos e mostra -me o desconhecido: muitas belas pessoas, algumas feias, gente feliz, sorrisos dançantes...O lugar da alegria.
Energia contagiante, uma magia a cada acorde. De longe, alguém parece esboçar um sorriso ou seria um riso?
Ela está toda vestida de roxo e através das rendas posso ver sua alma, que me dizia:
- Boa noite, seja bem- vinda.
Assusto - me ...Deus o que faço aqui?
Permaneço desligada por alguns minutos. Quando me ligo novamente, vejo a mim mesma no salão; dançando e rindo no ritmo do lugar da alegria. Ele me conduz.
O que? Se esse lugar existe? Se eu realmente estive lá?
O que posso dizer é " que todo brasileiro gosta de folia, pois o Brasil foi batizado na Bahia."
Olho ao meu redor minuciosamente..todos estão sorrindo.

Perdizes, São Paulo.

"Quem não compreende um olhar tampouco compreenderá uma longa explicação" Mario Quintana

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Vinícius viajou

"... Porém, se mais do que meu namorado
Você quer seu meu amado
Meu amado, mas amado pra valer
Aquele amado pelo amor predestinado
Sem a qual a vida é nada,
Sem a qual se quer morrer......
Os seus olhos têm que ser só dos meus olhos
Os seus braços o meu ninho
No silêncio de depois.
.....No infinito de nós dois..."

Vinícius de Moraes

Não, não pode ser!!!

Brigadeiro with strawberries


She's got a new adiction.

She had nothing to worry about...

She's been full of sorrow lately.

People have made a fool of her.

Foolish laughings at her, her siluet and her misterious ways.

There was nothing left but an adiction...

Everything was nonsense as in Alice in Wonderland.

Lígia Fagundes Telles, a mineira


TRECHO DE

As formigas


- E os ossos?
Ela se enrolou no cobertor, estava tremendo.
- Aí é que está o mistério. Aconteceu uma coisa, não entendo mais nada! Acordei pra fazer pipi, devia ser umas três horas. Na volta, senti que no quarto tinha algo mais, está me entendendo? Olhei pro chão e vi a fila dura de formigas, você se lembra? Não tinha nenhuma quando chegamos. Fui ver o caixotinho, todas se trançando lá dentro, lógico, mas não foi isso o que quase me fez cair pra trás, tem uma coisa mais grave: é que os ossos estão mesmo mudando de posição, eu já desconfiava mas agora estou certa, pouco a pouco eles estão... Estão se organizando.


Este conto está no livro Seminário dos ratos (1977) ou http://www.scribd.com/doc/3377697/Telles-Lygia-Fagundes-As-formigas

Descoberta

Acabei de descobrir que quando eu terminar a faculdade, vou fazer....


NADA!!!

Esse cara que me falou isso, me traz lembranças de momentos norte-americanos que tive em 2006, momentos maravilhosos, momentos de invasão total!! ( falo numa próxima).

Mas sabe, acho que ele está certo.
Não vou fazer a inscrição da pós, logo após a entrega do TCC.
Vou virar mochileira.
Talvez por 6 meses, talvez por um ano.
Vou até ao centro da terra e volto.
Sei que todos estarão aqui, esperando por mim.
Esperando por mim, não..doce ilusão... esperando por eles mesmos, enquanto vivem suas vidas em busca de coisas que eles nem sabem.
Alguns alcançam e não sabem, outros não alcançam e sabem.
Onde você quer estar?
Onde você vai estar?
Não falo de lugar físico... ah não, vou bem além.

(des) desejo


"Se o desejo do sujeito deve passar pelos desfiladeiros do significante, pois a linguagem existe... Se o Outro é o lugar do desdobramento da palavra - a outra cena -, é necessário colocar que o desejo do homem é o desejo do Outro".


Sendo assim, o que é o desejo?

O desejo é sempre aquilo que não se tem; ou não se pode ter.

Nunca vi ninguém desejar aquilo que tem. Você já?


Hoje, acordo antes do despertador. Não porque quero, mas porque não consigo mais dormir.

As palavras estão borbulhando no peito. E dói.

Gostaria de ficar na cama o dia todo, embaixo do cobertor.Porque ali ninguém me encontraria.

Levanto - me num sobressalto, vou ouvir Legião Urbana, sim, porque traz lembranças de quando eu tinha 12 anos, era uma adolescente descobrindo e desejando a vida que hoje (des)descubro e (des)desejo.

A vida que eu queria ter aos 12, tenho -a aos quase 22, mas não quero mais.


Vou para a Universidade, falam de Nando Reis e Zeca Baleiro.

Lembro-me da frase daquela bela canção...

Mas hoje, hoje, não.

Hoje eu não acordei com uma vontade danada de mandar flores a ninguém, nem de desejar nada a ninguém, nem bom dia, nem beijar ninguém..porque há um gosto amargo em minha boca.

E hoje, eu não vou receber um telegrama. Nem você.


Bom dia! (será mesmo?)

Quem o quer realmente?

Amar é dar o que não se tem, a alguém que não o quer.
Jacques Lacan.

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Julio Prestes de Albuquerque


Passo a avenida e entro à esquerda..ops, rua errada.
Olho para a rua Thiers, sei que estou na direção certa.
Finalmente entro na rua Julio Prestes de Albuquerque.
Olho a placa no poste. Estou em casa. Meus olhos brilham, a alma celebra e o coração dispara.Mas ao mesmo tempo que dispara ele se acalma, pois encontrou refúgio.Há todo um reFRIGÉRIO.
Paro em frente à casa 171, que descobri casualmente, pois eu não queria isso.Assim como não queria saber de muitas outras coisas.
Observo as janelas do fundo.
Aquela casa, aquelas paredes, o portão. Ali é o seu lugar.
É onde você cresceu, brincou, chorou, jogou bola, tomou chuva, andou de jipe.
E ali, bem ali estou eu. Em um domingo chuvoso e frio.
Mas isso não importa, dentro de mim faz sol.
Ligo o carro e sigo. A Catarina (vizinha há anos), sem saber, arruma a casa. Alguém deve chegar.
Chego e ela sorri:
-Vamos entrar para o quarto e conversar. (Eles surgem).
Conversamos sem cessar.
Ela me diz que o outro voltou, mas que ela não está feliz.
Olho para o lado tentando pensar em algo para confortá-la, vejo um bichinho de pelúcia e abraço.Sorrio para ela, minha amiga mãe.
Ela diz:
-Foi ele quem me deu. Ele me chamava de caju.
Droga... (só faço coisa errada)

Vou-me embora. Abraçamos- nos e ela diz:
- Volte mais, escreva mais.
Eu, alegremente, respondo :
- Sim, claro.
- Beijo. Adorei a visita.

Rock

Onze de dezembro de 2006.

O que você quer ouvir?Pode ser este CD mesmo?
O que é isso, exatamente?
É rock (foi a mais linda voz e resposta já ouvida em toda a minha vida. DCNA, 2006)

22 de setembro


AMANTES

Li que ontem foi dia dos amantes;
22 de setembro.
Eu sou amante e tenho amantes.
Sou amante da arte, da música, da literatura.
Sou amante das crianças e da sinceridade que nelas existe.
Sou amante dos animais e da natureza.
Amante da vida que tenho e da que gostaria de ter.
Amantíssima dos amigos que conquistei,
ainda mais dos que cultivei.
Sou amante e gosto de ser. Qual o problema?
Gosto de amar.

Amante: quem nunca foi ou teve um?

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Cidade Refugo


Insônia

Ela está sozinha na sala. Atrás daquela porta um novo mundo começa a surgir. É um mundo chamado refugo. Naquele momento é tudo que ela mais precisa: um refúgio, mas não o encontra. As mentiras, falsidades e meias verdades a assombram a todo o momento. As pessoas tentam se esconder; outras querem ser vistas pela sociedade, mas não conseguem.
Ele mentira para ela, não negava, mas desculpava-se.
Ela não aceitava, orgulho ferido e cabeça erguida. Sempre soube o que queria e quem queria(principalmente).
Ele foi um deslize na vida dela. Ela viu a oportunidade de boa companhia e foi adiante.
Apaixonou-se, sim. Mas foi só. A paixão é uma doença que dura no máximo 6 meses. A doença dela durou 5.
Desta doença ela já foi curada, mas as feridas que as palavras dele deixaram, não. Estão abertas e sangram.
Mas há uma outra doença, que os especialistas definiriam como anorexia. Ela não concorda. Diz não sentir fome. Declara a alimentação como hábito totalmente dispensável. Os que a amam (não ele, claro) estão preocupados. Acham que ela só quer emagrecer, está preocupada com a estética. Mas não é verdade. Ela ama o seu corpo,está satisfeita. O que seria, então?

Ela tenta engolir um biscoito de chocolate. Neste exato momento o criador daquele mundo entra na sala e ao ver aquela cena interpreta: oh, uma mulher comilona!
Ela explica que não, que é a primeira coisa do dia que tenta engolir e já são mais de duas.
Ele se desculpa e diz que não entende as pessoas. Conta que teve insônia (é a primeira conversa que têm) e se pergunta o porquê disso. Ela diz não saber também e que nunca teve falta de sono, muito pelo contrário. Declara que não sabe porquê não quer comer e que a mãe deve ligar para perguntar se ela já comeu.
O criador diz que vai ajudar a mãe dela.
Ela agradece; diz que não. Está quase pedindo ajuda, perguntando a entrada para a cidade refugo, mas ele sai da sala e fecha a porta. Acabou.

Ela fica indagando...por que as pessoas têm insônia?

Enquanto isso a cidade refugo adormece.

http://i470.photobucket.com/albums/rr65/srmpp/lilas.jpg

http://i470.photobucket.com/albums/rr65/srmpp/lilas.jpg

AbcBlogs

Site certificado
Voos baratos
voos baratos
voli low cost